Alteração inexplicadas no humor e comportamento são sintomas de uma doença. Existem tratamentos efetivos. O tratamento em longo prazo pode prevenir futuros episódios. Se não tratados, os episódios podem tornar-se perigosos. Os episódios maníacos, frequentemente, levam a perda de emprego, problemas legais, problemas financeiros ou comportamento sexual de alto-risco. Durante uma depressão indagar sobre risco de suicídio. (O paciente tem pensado, em morte ou em morrer?. O paciente tem um plano específico de suicídio? Ele/ela fez tentativas sérias de suicídio no passado?)

Os episódios podem ser frequentes ou podem ser separados por período de humor normal. Em casos graves o paciente pode ter alucinações (ouvir vozes, ter visões) ou delírios (crenças estranhas ou lógicas) durante períodos de mania ou depressão.

As crianças com Ansiedade de Separação podem ser incapazes de permanecer em um quarto sozinho, podem exibir um comportamento muito adesivo à pessoa de forte vínculo afetivo (normalmente a mãe), costumam andar juntos como uma sombra atrás dos pais, não só fora do lar como até por toda a própria casa e sofrem muito diante da possibilidade de ficarem separadas.

Sintomas de ansiedade são relativamente comuns em crianças e adolescentes, e a ansiedade patológica, incluindo o Transtorno de Separação na Infância é um problema clínico frequente nesta faixa etária. Por estas razões, todos os profissionais que lidam com crianças e adolescentes devem estar conscientizados sobre as possíveis manifestações de ansiedade nesta faixa etária. 

As diretrizes a seguir podem auxiliar os pediatras  ou médico da família médicos a determinar se há justificativa para um encaminhamento para serviço de saúde mental:

1. A criança apresenta sintomas que excedem o que seria esperado no desenvolvimento.

2. A ansiedade cria comprometimento significativo em alguma área das funções da criança.

3. Os sintomas de ansiedade persistem por um tempo inadequado.

O Pânico é comum e pode ser tratado; Ataques inexplicáveis de ansiedade ou medo que começam subitamente, desenvolvem rapidamente e podem durar apenas alguns minutos. Os ataques, frequentemente, ocorrem com sintomas físicos como palpitações, dor no peito, sensações de sufocação, estomago embrulhado, tonturas, sensação de irrealidade ou medo de desastre pessoal (de perder o controle ou ficar louco, ataque cardíaco, morte súbita).

Um ataque, frequentemente, leva ao medo de um outro ataque e evitação de lugares onde os ataques ocorreram. Os pacientes podem evitar exercícios ou outras atividades que podem produzir sensações físicas semelhantes àquelas de um ataque de pânico.

A Agorafobia é o comportamento de evitação provocados por lugares ou situações onde o escape seria difícil ou embaraçoso caso se tenha uma crise de pânico ou algum mal estar.

O transtorno obsessivo-compulsivo é classificado como um transtorno de ansiedade por causa da forte tensão que sempre surge quando o paciente é impedido de realizar seus rituais. Mas a ansiedade não é o ponto de partida desse transtorno como nos demais transtornos dessa classe: o ponto de partida são os pensamentos obsessivos ou os rituais repetitivos.

Há formas mais brandas desse distúrbio nas quais o paciente tem apenas obsessões ou as compulsões são discretas, sendo as obsessões pouco significativas. Os sintomas obsessivos mais comuns são:

Medo de contaminarem-se por germes, sujeiras etc. Imaginar que tenha ferido ou ofendido outras pessoas, omaginar-se perdendo o controle, realizando violentas agressões ou até assassinatos. Pensamentos sexuais urgentes e intrusivos Dúvidas morais e religiosas Pensamentos proibidos Os sintomas compulsivos mais comuns são: Lavar-se para se descontaminar, repetir determinados gestos, verificar se as coisas estão como deveriam, porta trancada, gás desligado, etc., tocar objetos, contar objetos, ordenar ou arrumar os objetos de uma determinada maneira e rezar.

A gravidez precoce é uma das ocorrências mais preocupantes relacionadas à sexualidade da adolescência, com sérias consequências para a vida dos adolescentes envolvidos, de seus filhos que nascerão e de suas famílias.

A incidência de gravidez na adolescência está crescendo e, nos EUA, onde existem boas estatísticas, vê-se que de 1975 a 1989 a porcentagem dos nascimentos de adolescentes grávidas e solteiras aumentou 74,4%. Em 1990, os partos de mães adolescentes representaram 12,5% de todos os nascimentos no país. Lidando com esses números, estima-se que aos 20 anos, 40% das mulheres brancas e 64% de mulheres negras terão experimentado ao menos 1 gravidez nos EUA .

No Brasil a cada ano, cerca de 20% das crianças que nascem são filhas de adolescentes, número que representa três vezes mais garotas com menos de 15 anos grávidas que na década de 70, engravidam hoje em dia. A grande maioria dessas adolescentes não tem condições financeiras nem emocionais para assumir a maternidade e, por causa da repressão familiar, muitas delas fogem de casa e quase todas abandonam os estudos.

É a intensa ansiedade gerada quando o paciente é submetido à avaliação de outras pessoas. Essa ansiedade ainda que generalizada não se estenda a todas as funções que uma pessoa possa desempenhar. Na maioria das vezes concentra-se sob tarefas ou circunstâncias bem definidas. É natural sentir-se acanhado quando se é observado: esse desconforto até certo ponto é normal e aceitável, muitas vezes vantajoso. Passamos a considerar esta vergonha ou timidez como patológicas a partir do momento em que a pessoa sofre algum prejuízo pessoal por causa dela, como deixar de concluir um curso ou uma faculdade por causa de um exame final que exige uma apresentação pública ou diante de um avaliador (es).

As Disfunções Sexuais não são as mesmas entre o sexo feminino e o masculino.

No sexo Masculino, o transtorno é apresentado por: Disfunções Erétil, Ejaculação Precoce, Disfunção Orgásmica e Baixo desejo Sexual.

No sexo Feminino, o transtorno é apresentado por: Baixo desejo sexual, Vaginismo, Dispareunia, Anorgasmia.

Depressão: o silêncio de uma doença grave e incapacitante.
Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 300 milhões de pessoas sofrem com a
depressão em todo o mundo. Em nosso país, 5,8% da população enfrenta a doença. Pode ser que
este número seja maior ainda, uma vez que os dados estatísticos são provenientes de diagnósticos
realizados em que procura tratamento ou alguma assistência de saúde.
Algumas pessoas com alguns sintomas de depressão como cansaço exagerado, perda do interesse
pelas atividades rotineiras, aumento ou diminuição de apetite, tristeza sem motivo, vivem sem
serem diagnosticadas, e, por consequência, sem tratamento adequado, levando a vida como um
peso enorme.
Diferente da tristeza, que acontece na vida de todo mundo, e que é proveniente de uma perda ou
luto, a depressão é incapacitante e faz a pessoa ver a vida sem colorido, tudo é cinza, sem graça e
sem interesse.
A depressão é considerada como a quarta doença mais incapacitante no mundo, e a expectativa é
que seja a segunda em 2020. A ajuda profissional é fundamental para o tratamento da depressão,
e isso ocorre com a procura de profissionais capacitados para o atendimento a este transtorno
muito comum hoje entre adultos, jovens, adolescentes e mesmo em crianças.
O diagnóstico precoce e o tratamento adequado, ajudam a melhorar a qualidade de vida das
pessoas e prevenir situações de agravamento da doença.

Desde pequeno já é inquieto. Em casa, corre daqui para lá o dia todo, sem que nada o detenha, nem sequer o perigo. Tira brinquedos de seu lugar, esparrama todos eles pelo chão e, quase sem usa-los, pega outros e outros, sem deter-se em nenhum. Interrompe permanentemente os adultos e as outras crianças, respondendo impulsivamente e de forma exagerada àqueles que o molestam. Seus companheiros de escola o evitam, mesmo assim ele sempre termina chamando-os para pedir-lhes ajuda nas lições que não consegue copiar a tempo.

Essa criança sempre perde os objetos, é desordenado, tendo que cobrá-lo o tempo todo, não só para que complete as tarefas, mas também porque, distraído, se esquece de que é hora de almoçar, de jantar ou de banhar-se.

Quando começa fazer alguma coisa, se esquece de terminar, para na metade. Quando vai a algum lugar para no caminho, se detém para falar com alguém, para entreter-se numa brincadeira, com algum animal ou passarinho que passa voando.

Tal criança pode ser portadora de Transtorno de Déficit de Atenção por Hiperatividade (TDAH). Trata-se de um dos transtornos mentais mais frequentes nas crianças em idade escolar, atingindo 3 a 5% delas. Apesar disto, o TDAH continua sendo um dos transtornos menos conhecidos por profissionais da área da educação e mesmo entre os profissionais de saúde. Há ainda muita desinformação sobre esse problema.

É um sentimento de apreensão desagradável, vago, acompanhado de sensações físicas como vazio (ou frio) no estômago (ou na espinha), opressão no peito, palpitações, transpiração, dor de cabeça, ou falta de ar, dentre várias outras.

É um estado psicológico e fisiológico que se caracteriza pela soma de componentes emocionais, cognitivos e comportamentais. A ansiedade é considerada uma reação normal ao stress, que  pode ajudar a ultrapassar uma situação difícil na vida. Tanto na presença como em ausência de estresse psicológico, a ansiedade pode criar sentimentos de medo, preocupação, entre outros. Quando a ansiedade se torna excessiva, pode ser classificada como transtorno de ansiedade.

Os pacientes podem apresentar-se com: humor deprimido, nervosismo, insônia, complicações físicas do uso de álcool ou drogas (úlcera, gastrite, doença hepática, infecções do sangue), problemas legais e socais devido ao uso de álcool ou drogas (problemas conjugais, faltas ao trabalho, ferimentos ou acidentes devido ao uso de álcool ou drogas).

Recomenda-se para pacientes dispostos a parar já: Estabelecer uma data definida para parar, Discutir estratégias para evitar ou manejar situações de alto-risco (por ex. situações sociais, eventos estressantes), Fazer planos específicos para evitar álcool e drogas (por ex. formas de enfrentar eventos estressantes sem álcool ou drogas, formas de responder a amigos que ainda usam drogas).

Os transtornos são definidos como desvios do comportamento alimentar que podem levar ao emagrecimento extremo ou à obesidade, entre outros problemas físicos e incapacidades. Os principais tipos de Transtornos Alimentares são a Anorexia Nervosa e a Bulimia Nervosa. Essas duas patologias são intimamente relacionadas por apresentarem alguns sintomas em comum: uma ideia prevalente envolvendo a preocupação excessiva com o peso, uma representação alterada da forma corporal e um medo patológico de engordar. Nos quadros relatados os pacientes estabelecem um julgamento de si mesmo indevidamente baseado na forma física, a qual frequentemente percebe de forma distorcida.

O impacto que os Transtornos Alimentares exercem sobre as mulheres é mais prevalente, ainda que a incidência masculina esteja aumentando assustadoramente. A Vigorexia, por exemplo, tem sido predominante nos homens, mas já se estão detectando casos de mulheres obcecadas pelo músculo. Já os Transtornos Dismórficos acometem igualmente ambos os sexos.

tempo-cura

Psicologia Infantil

Em geral, o atendimento infantil busca ajudar na solução de problemas de relacionamento social, timidez, aprendizagem, agressividade ou hiperatividade. Para o sucesso da terapia, é fundamental a participação dos pais ou responsáveis.

Terapia de Casal

A terapia de casal foca no relacionamento conjugal e tem como objetivo a melhoria do relacionamento. Nesses casos, o principal papel do psicólogo é identificar as causas que levaram ao desgaste do relacionamento, e usando sua imparcialidade, construir o entendimento a partir das demandas do casal.

Testes Psicológicos e Neurologicos

Realizamos os principais Testes Psicológicos e NeuroPsicológicos (desde a Orientação Profissional e Teste de Personalidade, até os Testes Cognitivos, de TDAH e os testes Neuropsicológicos mais complexos).

Horário de atendimento: 

Horário de Atendimento:

De Segunda á Sexta das 08h ás 21h.

Endereço: Estrada do Galeão – N1035 – Sala 229

– Jardim Guanabara

Telefone para Contato: (21) 9 7647 – 8080

Horário de Atendimento: Segunda á Sexta das 08h ás 21h.

Endereço: Rua Sete de Setembro – N98 – Sala 908 – Próximo ao Largo da Carioca.

Telefone para contato: (21) 3386 – 6134

Consultório SoPsicologia – Todos os Direitos Reservados | Criado por Le Imagine

× Como posso te ajudar?